Para incentivar a criançada a praticar exercícios de forma prazerosa, nada melhor que recorrer a atividades lúdicas. Essa é a proposta das aulas de circo que combinam acrobacia em tecidos, trapézio, cama elástica, além de dança e artes cênicas. Conheça alguns desses projetos.

No Rio, o grupo Intrépida Trupe tem o curso A Cobra na Bacia, voltado para crianças e adolescentes, de seis a 16 anos. As aulas acontecem na Fundição Progresso. A professora Vanda Jacques cita inúmeras vantagens para as crianças que participam da atividade:

“Desenvolvimento da consciência corporal talvez seja a principal delas. Explicamos o que acontece em todo o corpo humano, a maneira certa de se sentar para não sobrecarregar a coluna, a eficiência do movimento como um todo. Esse é o principal ganho das crianças”, afirma Vanda, fundadora, ao lado de Beth Martins, do Intrépida Trupe, que há 30 anos desenvolve uma linguagem cênica própria que une o circo, o teatro e a dança.

O curso A Cobra na Bacia incentiva que cada um supere os seus próprios limites por meio da arte. Para os pequenos que estão acima do peso não há impedimento algum. “Temos experiências com crianças com sobrepeso que têm muita agilidade na prática do circo. Em geral, a diminuição de peso acaba sendo uma consequência das aulas”, ressalta Vanda.

Nas quatro horas de aulas semanais, além das atividades circenses, eles aprendem a ter cuidados com o próprio corpo, que vão desde noções básicas de boas escolhas alimentares até questões relacionadas a aquecimento do corpo e ao cuidado com a musculatura que acaba de ser usada. Acrobatas, profissionais de dança e teatro, fisioterapeutas e professores de educação física compõem a equipe multidisciplinar que ministra as aulas.

“Temos a convicção de que a realização de acrobacias depende muito mais da vontade do que do peso da criança ou adolescente. Por isso, é interessante que possamos cuidar das crianças individualmente vendo a necessidade de cada um. A aula de circo é um ponto de apoio na construção dos afetos e estar numa atividade coletiva é estabelecer parcerias”, declara Vanda.

Outra opção de aulas de circo para crianças, adolescentes e jovens no Rio são os cursos do programa social da Escola de Circo Crescer e Viver, mantida pela prefeitura e pelo Estado, além de outros patrocinadores. A ONG acolhe crianças e adolescentes – de sete a 17 anos – em situações de risco e vulnerabilidade, matriculados na rede pública de ensino. As aulas e atividades são gratuitas e acontecem todas as terças e quintas-feiras, das 14h às 17h30. Os alunos participam de aulas e práticas de técnicas e habilidades circenses, acrobacia de solo; acrobacia aérea; malabarismo e equilíbrio, através das quais adquirem consciência corporal, capacidade de deslocamento e de manipulação de objetos, entre outras capacidades. E também atuam em oficinas complementares sobre a História da Arte e História do Circo, além de mostras e apresentações públicas. E a ONG disponibiliza ainda o Programa de Formação Artística (PROFAC), que prepara profissionais para o circo.

Em São Paulo, o Galpão do Circo – criado em 1997 – oferece cursos com atividades circenses para crianças (de seis a 12 anos) e adolescentes, além de adultos, que querem praticar o circo como lazer ou se dedicar profissionalmente a essa área. Além dos cursos regulares, a escola tem programação nas férias escolares e faz apresentações abertas ao público. Nos finais de semana, acontecem aulas-festas nas quais as crianças comemoram o aniversário se divertindo e se exercitando em modalidades circenses. A escola mantém uma equipe de parceiros/professores integrada por profissionais do circo e de arte e educação.

Já a Escola Nacional de Circo (ENC), mantida pelo Ministério da Cultura, oferece cursos regulares de formação e reciclagem de artistas. Criada em 1982 pelo circense Luís Olimecha e por Orlando Miranda, funciona na Praça da Bandeira 4, no Rio de Janeiro, num ponto tradicional de armação de circos no século XIX e início do século XX. O acesso aos cursos – para alunos com Ensino Médio e com duração de dois anos – é por meio de provas.

 

Mais informações:

A Cobra na Bacia – Intrépida Trupe – Fundição Progresso. Endereço: Rua dos Arcos 24, Centro, Rio de Janeiro/RJ – Tel.: 21-3212-0800. Site: <http://www.fundicaoprogresso.com.br/cursos/>. Aulas: todas as terças e quintas-feiras. Horários: das 8h30 às 10h30 ou das 17h às 19h.

Assista a uma aula do curso A Cobra na Bacia. Sites: <https://www.youtube.com/watch?v=1M0f1u2-Zh0>  e <https://www.youtube.com/watch?v=3LnJEJTavmU>.

 

Escola de Circo Crescer e Viver – Disponibiliza vagas gratuitas para crianças e adolescentes com idades entre sete e 17 anos, alunos da rede pública de ensino. E aos sábados tem oficinas pagas. Endereço: Rua Carmo Neto 143 – Cidade Nova, Rio de Janeiro/RJ. Tel.: 21-3972-1391, das 8h às 18h. Site: <http://crescereviver.org.br/>.

Assista ao vídeo e saiba mais sobre a Crescer e Viver. Site: <https://youtu.be/nljjMctRsCs>.

 

Galpão do Circo – O Galpão do Circo está instalado num prédio de três andares e subsolo no bairro da Vila Madalena. Endereço: Rua Girassol 323 – Vila Madalena, São Paulo/SP. Horário de atendimento da secretaria do Galpão do Circo: de segunda a quinta-feira, das 8h30 às 21h. Telefones: 11-3812-1676 e 11-3815-6147. E-mail: secretaria@galpaodocirco.com.br. Site: <http://www.galpaodocirco.com.br/o-galpao/>.

Assista a uma aula no Galpão do Circo – <https://youtu.be/KZdqmsTLUOk> – e conheça o espaço – <https://youtu.be/_sa7_nV04HY>.

 

Escola Nacional de Circo – Endereço: Rua Elpídio Boamorte s/nº, Praça da Bandeira, Rio de Janeiro/RJ. Telefones da coordenação: 21-2504-3720 e 2504-5320. E-mails: escolacirco@gmail.com e secretariaescolacirco@gmail.com. Site: <http://www.funarte.gov.br/escola-nacional-de-circo-2/>.