Bebês que são amamentados estão expostos a um risco 26% menor de terem obesidade no futuro, segundo o estudo “Alimentação infantil e ganho de peso: separando o leite materno da fórmula alimentícia”, publicado na revista científica “Pediatrics” e divulgado pela Academia Americana de Pediatria (AAP). Os autores concluíram ainda que a amamentação está associada a um menor Índice de Massa Corporal (IMC) e à redução de risco de ganho excessivo de peso no primeiro ano de vida. O aleitamento materno exclusivo e por um período longo aumenta ainda mais essa tendência.

 

O estudo analisou 2.553 crianças canadenses, amamentadas em média por 11 meses. E os cientistas observaram também que os benefícios da alimentação do bebê diretamente no seio materno mostraram-se maiores que os da alimentação em mamadeira, embora com o leite extraído da mãe. Por sua vez, o leite materno retirado apresentou mais vantagens para a alimentação do bebê em comparação com o leite em pó. Na opinião dos pediatras, essas evidências contribuem para reforçar a recomendação do aleitamento materno.

 

Conheça alguns dos benefícios da amamentação

O aleitamento materno representa muito mais do que a garantia de uma boa nutrição: fornece ao bebê uma série de benefícios físicos, como proteção contra infecções, e psicológicos, como a sensação de estar acolhido e seguro.

A conveniência da amamentação, porém, não se restringe ao bebê; para as mães, amamentar é igualmente proveitoso. Quanto maior for o prazo de aleitamento, mais benefícios para a mãe e o bebê. Confira esses benefícios:

 

Para o bebê

Proporciona calor e proximidade. O contato físico ajuda a criar um vínculo especial entre o bebê e sua mãe.

● É mais fácil de ser digerido, não precisa de preparação e está sempre disponível.

● Fornece todos os nutrientes, calorias e líquidos que o bebê precisa para se manter saudável.

● Tem fatores de crescimento que asseguram o melhor desenvolvimento possível dos órgãos do bebê.

● Possui substâncias que protegem de muitas doenças e infecções. Bebês amamentados são menos propensos a ter infecções de ouvido, diarreia, pneumonia, chiado e bronquiolite, além de outras infecções bacterianas e virais, como meningite.

● Há indicações de que a amamentação ajuda a proteger ainda contra a obesidade, diabetes, síndrome da morte súbita infantil, asma, eczema, colite e alguns tipos de câncer.

 

Para a mãe

● Libera hormônios para o seu corpo que promovem o comportamento materno.

● Restaura o tamanho do útero como era antes da gravidez mais rapidamente.

● Queima mais calorias, ajudando a reduzir o peso aumentado durante a gravidez.

● Atrasa o reinício do período menstrual para ajudar a manter o ferro no seu corpo.

● Previne a concepção (controle de natalidade), no caso de estar amamentando o bebê sem nenhum outro tipo de suplemento, nos primeiros seis meses após o parto e enquanto o período menstrual não for reiniciado.

● Reduz o risco de câncer de ovário e de mama.

● Mantém os ossos fortes, o que ajuda a proteger contra fraturas ósseas na velhice.