Pesquisas americanas comprovam que dar mamadeira a crianças com mais de um ano aumenta em 30% o risco de desenvolver obesidade infantil. O problema ocorre porque, em alguns casos, a mamadeira é utilizada para substituir a chupeta na hora de acalmar o bebê e/ou como indutor do sono, causando um aumento calórico que favorece o ganho de peso.

Até os primeiros seis meses de vida, o aconselhável é usar o leite materno como principal alimento da dieta. O aleitamento materno é um ato natural e a melhor forma de alimentar, proteger e demonstrar afeto ao bebê. Até os seis meses, essa deve ser a única forma de nutrição infantil. O aleitamento materno garante sistema imunológico forte, além de beneficiar a saúde bucal.

Após essa idade, quando normalmente chega ao fim a licença-maternidade, no Brasil, há o costume de fazer a introdução da mamadeira no dia a dia do bebê. De acordo com a pediatra e nutróloga Mônica Moretzsohn, membro do Departamento Científico de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), há maneiras mais saudáveis de fornecer alimento ao bebê: “Os copos de transição são o melhor caminho para substituir o aleitamento materno. A mamadeira, se possível, deve ser evitada, por ser prejudicial para o desenvolvimento da musculatura facial, além de interferir também no osso maxilar e na arcada dentária”, adverte Mônica.

Nos casos em que a família optou por oferecer a mamadeira, é importante que o único líquido consumido ali seja leite puro, sem achocolatados, frutas ou qualquer tipo de farinha para engrossar. Água e suco devem ser oferecidos em copos. “Quanto menos a criança fizer uso de mamadeira, melhor. A retirada, que deve ser feita até os três anos de idade, fica mais simples se todos os outros líquidos, além do leite, estiverem sendo consumidos pela criança em outro recipiente que não seja a mamadeira”, sugere a pediatra.

 

Fique atento a outras dicas

– Pediatras recomendam começar a usar o copo no lugar da mamadeira a partir dos seis meses de idade. No início, o bebê vai derramar muito líquido, mas aos 12 meses a maioria tem melhor coordenação e habilidades manuais para segurar o copo.

– Se o bebê ainda está sendo amamentado no seio, ele também pode ser treinado a utilizar o copo.

– Tente retirar a mamadeira aos poucos, seguindo o seu planejamento para oferecer os alimentos complementares. Por exemplo, se o seu filho toma três mamadeiras ao dia, comece eliminando a da manhã. Em vez de oferecer a mamadeira diretamente a ele, leve o seu bebê à mesa e, quando ele começar a comer, ofereça o copo.

– À medida que você tenta eliminar a mamadeira da manhã, continue oferecendo a da tarde e a da noite por cerca de uma semana. Se ele insistir em pedir a mamadeira, poderá acalmá-lo dizendo que a terá mais tarde. Uma dica é tentar diluir um pouco o leite com água nos primeiros dias de retirada da mamadeira. Faça isso aos poucos, aumentando a quantidade. Consulte o pediatra.

– Na semana seguinte, retire outra mamadeira da alimentação e troque-a por um copo de leite. Tente fazer isso enquanto o seu bebê está sentado em uma cadeira à mesa.

– Geralmente, a última mamadeira que deve ser eliminada é a da noite, que já faz parte da rotina para o bebê ou a criança adormecer. Em seu lugar, tente oferecer a ele um copo de leite com a comida e mantenha as outras atividades relacionadas à hora de dormir, como dar banho, escovar os dentes.

– Os copos com bicos que impedem o líquido de derramar, desenhados especialmente para os bebês, podem ajudar na transição. Os dentistas recomendam optar pelos copos com bicos duros ou canudos.

– Elogie seu filho quando ele começar a usar o copo e faça comentários positivos quando isso acontecer.

– Se o seu filho continua pedindo a mamadeira, veja se realmente ele quer comer ou beber algo, ou precisa apenas de carinho e atenção. Se ele tem sede ou fome, ofereça os alimentos no prato ou copo.

– Guarde as mamadeiras longe do alcance dos olhos do bebê ou da criança.

Fonte: Kids Health, The Nemours Foundation.

 

Quer saber mais sobre o início do desmame?

Confira as orientações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) disponíveis no site:

<http://www.pediatriaparafamilias.com.br/website/paginas/materias_gerais/materias_gerais.php?id=117&content=detalhe>.