É possível que adultos e crianças desfrutem de um estilo de vida mais saudável sem grandes mudanças em suas rotinas diárias. Essa foi a proposta do projeto inédito “Vida de Saúde” para combater o sedentarismo e prevenir a obesidade infantil, desenvolvido pelo professor Marcio Atalla, em parceria com a Amil, para a população de Jaguariúna, cidade com 51 mil habitantes, a 123 quilômetros de São Paulo. Realizado em 2016, o programa proporcionou maior bem-estar aos participantes. Cerca de 40% da população apresentou mudança significativa nos seus hábitos, resultando em melhores índices saúde. O consumo de frutas e hortaliças aumentou, em média, 12%. Quanto à prática de atividade física, o número de indivíduos fisicamente inativos diminuiu 15% e o hábito de assistir TV mais de três horas por dia foi reduzido em 10%. Esses bons resultados têm motivado os idealizadores do projeto a estender o “Vida de Saúde” a outras cidades. Na entrevista a seguir, Atalla – especialista em treinamento de alto rendimento e com pós-graduação em Nutrição pela USP – fala sobre a iniciativa.

 

OIN – Qual o conselho para uma família que quer começar a ter uma vida mais saudável?

ATALLA - Escolha qualquer maneira de colocar o corpo em movimento e mantenha uma regularidade, praticando essa atividade com a maior frequência que puder. Pode ser: subir escadas, acumular passos, passar mais tempo de pé, mas tem que fazer diariamente. Com o tempo, o corpo se condiciona, a pessoa cria o hábito e aí é possível aumentar a intensidade. Na alimentação, faça mudanças que sejam possíveis de serem mantidas por muito e muito tempo. Assim se faz uma reeducação alimentar sem a necessidade de dietas restritivas. Outra dica é reunir a família no final de semana e ter algum tipo de lazer com movimento. Além do estimulo físico, cria-se um momento agradável e um incentivo para que as crianças continuem se exercitando quando adultas.

 

OIN – O que mudou na população de Jaguariúna com o “Vida de Saúde”? 

MARCIO ATALLA Com certeza, é uma população com maior acesso à informação sobre mudança de hábitos. Porém, o que mais mudou foi a capacitação dos profissionais de saúde e educação da cidade em relação à promoção de um estilo de vida mais saudável: como combater o sedentarismo, colocando o corpo em movimento, e também como fazer uma alimentação adequada. Outro ponto importante é que hoje é uma cidade com muito mais incentivo ao lazer, à prática de atividade física, ou seja, com uma atenção maior na parte de medicina preventiva. Houve queda de 22% no consumo regular de doces após a intervenção entre os participantes do projeto. E redução significativa de peso (e no Índice de Massa Corporal, o IMC) para grupo de obesos e de pessoas com sobrepeso. O movimento é a medicina preventiva mais barata e eficiente que existe. E esse é o desafio: construir saúde todos os dias, atuar de maneira preventiva e pensar no longo prazo.

 

OIN – Como garantir a manutenção dos bons hábitos? 

ATALLA O atual prefeito tem mantido as políticas que deixamos na cidade, mas é fundamental a capacitação permanente dos profissionais de saúde e educação da cidade. Os eventos estão sendo mantidos.

  

OIN – Qual foi o principal desafio encontrado na cidade de Jaguariúna?

ATALLA – Conhecer o funcionamento da cidade e o das suas regiões. Com isso, entendemos que o melhor seria uma atuação em Unidades Básicas de Saúde e escolas públicas. Outro desafio foi comunicar os eventos para população.

 

OIN – O projeto será replicado para outras cidades? Quais?

Sim. Estamos em fase de negociação com algumas.